Problemas psicológicos relacionados ao ganho de peso: Part 1

A minha relação de ódio e amor com a comida

Quando comecei a fazer esse post era para falar de outra maneira desse assunto, mas acabei escrevendo e gostei do resultado então vou compartilhar com vocês a minha relação de ódio e amor com a comida.

Nunca pensei que parte dos meus quilos a mais era culpa do meu psicológico abalado, sim, não tenho vergonha de assumir que fracassei em diversos aspectos da vida (em relação beleza), pois em outros sou muito forte, mais percebi que as criticas  que me fizeram no passado, reflete ainda e muito na minha vida, passei a me cobrar muito nas coisas que faço começo algo e penso em desistir porque tenho medo de não agradar as pessoas, e esse medo foi criado lá no passado quando recebi um bombardeio de críticas relacionadas ao meu físico na escola,  da família e sociedade, e cresci imaginando que era somente culpa dos quilos a mais, até que descobri depois de uma certa fase da vida que não era somente culpa do meu físico, na realidade o físico era somente mais um agravante, e já falei disso anteriormente, eu era aquele tipo de criança feinha, minha mãe trabalhava fora e eu odiava pentear o cabelo sozinha, daí em juntava tudo com a escova e prendia, eu não tinha muitas roupas e usava varias peças que ganhava da minha tinha que já era uma senhora e usava roupas de senhoras, daí ia para a escola com 13 anos e roupas de uma mulher de 50 anos,  meu senso era mínimo e quando tinha dinheiro para comprar  roupas comprava as piores peças que tinha na loja e por fim andava quase beijando o chão, em uma postura super feia … Pronto acabei de me detonar… KKK… TÔ morrendo de rir do meu passado aqui e por fim não sei falar direito… Cara eu sou um E.T… Hoje eu sou bonita tá,  que fique claro! O tempo faz um bem danado!

Com isso logo passei por depressão, baixa autoestima e crises de ansiedade, que atualmente controlo, ou não, mas antes não era bem assim, tudo que você absorve se não  tratado irá se manifestar em alguma fase da vida, é como esconder um crime e conviver com a culpa, como não tratei as B.U.LI.N.A.D.A.S passei a usar a comida como válvula de escape, se estava triste eu comia, se estava alegre eu comia, se fazia sol eu comia, se faz chuva eu comia, se tirava nota ruim eu comia, se tirava nota boa eu comia, se era criticada eu comia, se era elogiada eu comia.

Não sei se alguém aí vai identificar-se mas eu era aquela pessoa que sempre estava  com fome, e se sentia fome eu comia o que tinha pela frente só que eu nunca estava satisfeita, então comia mais e mais e mais, teve um dia que até comi as paredes da minha casa por isso hoje moro de aluguel,  infelizmente nunca parei para anotar o que eu comia em um dia de crise mais imagino já ter ingerido fácil, fácil 5 mil calorias, ou até mais,  e na realidade os quilos a mais eram até pouco pelo tanto que eu comia, custei a perceber que havia algo errado na minha relação com comida mais observei os seguintes aspectos:

  • Abria a geladeira diversas vezes no dia para procurar comida;
  • Depois de comer varias vezes em um curto espaço de tempo eu queria parar de comer, mas  eu não conseguia;
  • Comia tudo muito rápido, não mastigava;
  • Sentia necessidade enorme de comer doce;
  • Começava a comer e não conseguia mais parar, mesmo depois de estar tão cheia que parecia que iria explodir;
  • Ficava aflita, com uma dor no peito, parecia que algo ruim e triste ia acontecer, mas nada estava acontecendo;
  • Depois de certo tempo sentia uma sensação de alívio e não comia mais, o medo, a culpa, os males havia todos idos embora.

OBS: Segundo minha médica meus sintomas que eu listei acima não são sintomas de compulsão alimentar, quando é compulsão alimentar a pessoa pode comer alimentos cruz como arroz e feijão e também comer durante a noite, não sei explicar bem, resumindo são crises de ansiedade extrema.

Mas como aliviar esses sintomas

Vou apresentar algumas coisas que deram e dão certo para mim até hoje, mas se você possuir algum desses sintomas busque ajuda de um profissional, ele vai lhe ajudar em diversos aspectos.

  • Comer de 3 em 3 horas: Se você come a cada 3 horas você passará a ter controle do que esta comendo, assim fica mais fácil ter controle das calorias que estão sendo ingeridas e também da quantidade de comida ingerida;
  • Coma devagar, e comece a saborear o que está comendo;
  • Procure algo para distrair-se: Se a comida é sua distração em momentos de crise você deverá substituir essa distração por outra, tente caminhar, ler um livro, tome um banho demorado, ouça uma música, respire fundo e relaxe;
  • Mantenha próximo a você somente comidas saudáveis: Se sua geladeira, seus armários e suas gavetas estiverem cheias de biscoitos, chocolates, batata chip, sorvete, doces na primeira oportunidade você irá ataca-los, normalmente nesses momentos só queremos comer coisas calóricas;
  • Meça sua força através de um propósito consigo mesmo: sabe aquelas promessas da vovó com DEUS de não cortar o cabelo, de jejuar, de não comer doce durante um tempo! Está na hora de adaptá-lo para você, e como fazer isso? Prive-se durante um período de certo alimento que não lhe traga benefício, aquele que você não pode ver que ataca. Meu exemplo durante 2015 não tomarei refrigerantes, nem bebidas alcoólicas e não comerei chocolates. Sabe aquela caloria desnecessária, como dizem não dá sangue, são essas! Há alguns dias atrás eu comi uma fatia e meia de pizza e não bebi nada, nem suco, a minha irmã me acompanhou e tomou refri … tá bom a pizza é muito calórica, mais se fosse em dias passados provavelmente comeria a pizza, com 2, 3 copos de refrigerante e de sobremesa chocolate, compreende agora o que quero explicar.
  • Se tiver uma crise e sair da linha, volte, não é vergonha falhar, vergonha é desistir porque falhou algumas vezes.
  • Procurar apoio psicológico: o psicólogo não formou para tratar de doido, ou não, vai saber! Então pare com esse preconceito e procure ajuda de um especialista, ele estudou anos para ajudá-lo;

O papel do psicólogo consiste em analisar a história de vida da pessoa, esclarecer uma situação, dar suporte e acompanhá-la a fim de auxiliar na superação de uma crise e proporcionar o desenvolvimento de potencialidades e crescimento pessoal de seu paciente.

Joselaine Garcia: Psicóloga

Sei quantos de vocês se sentem incompreendidos, quantos estão lutando para conseguirem chegar a algum lugar, mas simplesmente não conseguem e acreditam que a culpa é somente de vocês, e ainda são obrigados a lidar com as cobranças da família, dos amigos, da sociedade, da mídia que impõe um “jeito certo” de ser, quando na verdade é esse jeito certo de ser que lhe faz sentir esse lixo que você sente ser! O único jeito certo de ser que existe e deveria ser pregado é ser feliz!

Eitxxxxxxa! Post com jeito de desabafo… Chocada comigo mesma, mas é isso aí, chorei rios aqui e espero que você chore também daí e que tome esse choque de consciência consigo mesmo, os conselhos aqui devem ser adaptados para sua vida, e não  só para quem tem problemas com a comida, mas é para você que possui problemas amorosos, familiares, financeiros, entre outros,  busque ajuda e seja feliz!

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 05/08/2015 às 12:00 e está arquivada sob Sem categoria. Guarde o link permanente. Seguir quaisquer comentários aqui com o feed RSS para este post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: